No Dia da Coragem está faltando coragem para seu cão? Saiba identificar cães medrosos!

No Dia da Coragem está faltando coragem para seu cão? Saiba identificar cães medrosos!

O Dia da Coragem é celebrado anualmente em 6 de maio. Essa data honra uma das mais nobres virtudes que se pode ter: coragem! Nem todo mundo tem a coragem de enfrentar os obstáculos que surgem em suas vidas.

Convive com um cachorro medroso? Não se preocupe.

Há diversas formas de amenizar o problema e deixar seu pet mais tranquilo e saudável!

Assim como nós, seres humanos, não somos todos iguais, cachorros também possuem temperamentos diferentes, que, por sua vez, podem resultar em um comportamento mais ou menos medroso. Isso vale, inclusive, para indivíduos da mesma raça!

Em alguns momentos é completamente compreensível que o cachorro sinta medo, por exemplo durante uma tempestade ou em uma virada de ano, com pessoas gritando e muitos fogos de artifício. Mas um cachorro medroso vai muito além disso, levando esse comportamento em seu dia a dia.

Alguns sinais de alerta são:

  • O cachorro se esconde sempre que passa por uma situação diferente;
  • Late incessantemente para visitas;
  • Tremedeira;
  • Salivação;
  • Orelhas para trás;
  • Rabo entre as pernas;
  • Rosna para desconhecidos ou para o tutor;
  • Recua ou anda encostado na parede;
  • Fica muito agitado;
  • Ameaça atacar.

Caso seu pet apresente um ou mais dos sintomas acima, talvez seja a hora de consultar um profissional e buscar algum tratamento.

Uma dica essencial de como acalmar um cachorro medroso é associar a situação de medo com um agrado: um petisco, um carinho ou uma brincadeira. Dessa forma, pouco a pouco, a memória do pet vai se acostumar com aquela situação e ele vai se sentir mais confortável e confiante.

É importante que isso seja feito de forma gradual, respeitando a reação do pet.

Lembre-se que seu cãozinho está enfrentando um momento no qual precisa de seu carinho e sua compreensão. Agir de maneira nervosa, gritando e dando bronca, deixará a situação muito pior!

Os fatores de maior influência no que diz respeito à coragem, ou à falta dela, têm a ver principalmente com o histórico e a criação do pet.
Entre as causas do medo em cachorro mais indicados pelos especialistas, podemos citar:

  • Traumas: Principalmente durante a infância, os cachorros passam por experiências marcantes que vão ser essenciais na idade adulta. Se o pet tiver algum trauma ou susto muito grande durante este período, isso terá influência em toda sua vida;
  • Falta de socialização na infância: Enquanto o pet ainda é filhote, é importante apresentá-lo a diferentes tipos de pessoas, de cachorros, de ambientes e de situações. Se o pet crescer em um meio muito limitado, vai estranhar novas experiências, e reagir com medo sempre que encontrar algo inusitado;
  • Adestramento inconsistente: Ao contrário do que muitos pensam, estipular regras para o cachorro e ser consistente com elas não causa sofrimentos ao pet. Ao contrário! Ao entender com clareza o que pode ou não fazer, o cachorro se torna muito mais seguro e confiante, tornando-se menos medroso e ansioso.
    Você vai precisar de muita vontade, dedicação, paciência, conhecimentos modernos acerca do comportamento animal e, claro, muito amor para seu amigo!

Fonte: Petz; Petlove; Petanjo

Add Your Comment